Páginas

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Pastores Torturados Por Policiais Sem Motivo

Pastores são presos e torturados sem motivo na sexta-feira da paixão: “Diga ao seu Deus para vir salvá-los”, disseram policiaisUm grupo de pastores evangélicos e suas famílias foram presos de forma ilegal e torturados por policiais da cidade de Santa Fe de la Vera Cruz, na Argentina, na última sexta-feira santa.
Os evangélicos foram submetidos a torturas e espancamento pelos policiais, que humilhavam os fiéis: “Diga ao seu Deus para vir salvá-los”, diziam. A Argentina é um país de maioria católica, e a prática religiosa está em alta com a eleição do cardeal Jorge Mario Bergoglio ao pontificado à frente da Igreja Católica.
Após os momentos de terror, os evangélicos prestaram queixa contra os policiais, mostrando os hematomas em diferentes partes do corpo. Um deles tinha um dente quebrado e um bebê tinha marca de um tiro de bala de borracha.
O princípio da prisão ilegal seguida de tortura foi uma discussão na vizinhança do local onde os evangélicos estavam. Um dos pastores tomou a iniciativa de intervir na situação para acalmar os ânimos, mas o grupo de policiais que atenderam a ocorrência achou que ele fazia parte do tumulto, e o algemou.
Segundo informações do Protestante Digital, um dos policiais passou a agredir um dos pastores no momento da prisão, quebrando um de seus dentes. Enquanto isso, outros policiais entraram à força na casa, disparando balas de borracha – uma das balas acertou um bebê na cabeça – e levaram outros dois membros da família que também são pastores.
Os quatro membros da família foram presos antes que pudessem se identificar como pastores. Na delegacia, quando tentaram explicar a situação, foram insultados e novamente agredidos. “Hoje é sexta-feira santa, informe o seu Deus para vir e salvá-los”, disseram os policiais, enquanto continuavam a espancá-lo.
Após serem libertados mediante o pagamento de fiança de 2 mil pesos, os pastores foram à sede da Administração Interna, e denunciaram os policiais à Secretaria de Direitos Humanos da província de Santa Fe.

Um comentário:

  1. Ñ dá pra entender tanta abordagem arbitrária em casas de gente de bem

    ResponderExcluir